Publicado por: Dream Hunter Z | 19/10/2011

SEICHO-NO-IE: O amor que liberta vivifica

Olá pessoas! 🙂 Como vão?

O post de hoje é mais um trecho da SEICHO-NO-IE! Espero que gostem!

O amor que liberta vivifica

Foto retirada deste site.

O amor-apego atormenta, mas o amor que liberta vivifica.

Ama não é cercear a liberdade da pessoa amada, e sim dar-lhe plena liberdade. Mas não adianta simplesmente soltá-la. Devemos soltar a pessoa amada na direção que lhe possibilite crescer correta e vigorosamente, acompanhar os seus passos e orar por ela. Libertar é um ato de doação.

(Taniguchi Seicho – Akaruku Tanoshiku Jinsei O)

Amar alguém é desejar a felicidade e o sucesso da pessoa amada. É nisso em que acredito…

Ao ler este trecho sobre amor verdadeiro, não tem como não falar de ciúmes!

Sentir ciúmes da pessoa amada, apesar de ser um sentimento negativo, é até normal, desde que não seja exagerado. (Aliás, acho até que a ausência total de ciúmes também não tem graça… Apesar de ser o ideal! ^.^).

Quem ama, confia.” Segundo dizem… E isso é verdade!

Por isso, é necessário confiança mútua no casal (ou mesmo entre amigos… Existe ciúmes de amigo também!). Se há confiança, não há porque sentir ciúmes (embora aquela pontadinha no peito seja inevitável, às vezes…).

Eu acredito que existam dois tipos de ciúmes: o saudável e o doentio.

O saudável é aquele que a gente aguenta, e depois esquece. Aparece quando vê a pessoa amada conversando mais aproximadamente com alguém do sexo oposto, ou algo assim. No máximo, pergunta-se quem era e ponto final.

O doentio é aquele onde não se controla o sentimento e arma-se barraco na hora mesmo! xD Ou aguenta e depois tira satisfações com a pessoa amada ou, pior ainda, com a outra pessoa com quem a pessoa amada estava conversando (que, muitas vezes, nem entende o que acontece… ¬¬”). E esse, não se esquece.

Enfim, mas há casos e casos… Da mesma forma que a pessoa deve confiar no(a) amado(a), essa pessoa amada(o) também deve ser digna de confiança! Mas isso fica para um próximo post… ^__^

Voltando ao assunto, quando se há amor e confiança verdadeiros e recíprocos, há aquele desejo mútuo de ver a pessoa amada crescer, evoluir e ser feliz. Liberta-se a pessoa para a sua felicidade!

Lembrar que libertar não significa viver independente e indiferentemente ao parceiro! Também não é “liberdade” no sentido de permitir que o(a) amado(a) fique “livre” para sair com outros parceiros! Pra começar, se esta pessoa fizer isto, então é porque, definitivamente, não há um amor recíproco…

Bom, enfim, acredito que por hoje está bom! 🙂

Até a próxima!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: