Publicado por: Dream Hunter Z | 31/07/2014

Elementos da Comunicação & Funções da Linguagem

Olá a todos! 🙂 Como vão?

Faz algum tempo que não posto nada sobre comunicação, não é? Hoje passarei um conceito básico, porém, bastante importante para a publicidade e propaganda. Além de ser essencial para o português como ferramenta de comunicação. Falo dos Elementos de Comunicação e das Funções da Linguagem.

Elementos de comunicação & funções de linguagem

Imagem retirada do site diHITT.

ELEMENTOS DE COMUNICAÇÃO:

Como o próprio título diz, são os elementos que compõe o processo de comunicação, que consiste,em geral, o fato de haver um assunto a ser passado de uma pessoa para outra, através de um meio, utilizando-se de um determinado código. Isso é óbvio, não? Os Elementos de Comunicação são estes:

  • Emissor: É quem envia/emite a mensagem. Pode ser uma pessoa ou um grupo de pessoas.
  • Mensagem: É o assunto/informações a serem transmitidas pelo emissor. De forma mais simples, é o conteúdo que o emissor quer transmitir.
  • Receptor: Também chamado de Destinatário, é quem recebe a mensagem, podendo ser uma pessoa ou grupo de pessoas.
  • Canal: É o meio por onde a mensagem é transmitida. Pode ser pelo ar (ao falar), jornal, televisão, revista, internet, rádio, etc. (Em PP, bastante relacionado ao Mídia).
  • Código: É o conjunto de regras de signos e códigos utilizados para formar a mensagem. Para que a comunicação seja bem sucedida, é preciso que o receptor compreenda o código usado pelo emissor. Um exemplo de código: letras, idiomas, código morse, etc.
  • Contexto: Também chamado de Referente, é o objeto ou a situação a que a mensagem se refere.
  • Ruído: É qualquer perturbação que impeça da mensagem chegar devidamente ao receptor, interferindo na comunicação como um todo.

Numa situação de comunicação real, o emissor e o receptor, costumeiramente, trocam de posição o tempo todo (num diálogo, por exemplo). Por isso, eles são chamados de Interlocutores.

FUNÇÕES DA LINGUAGEM:

Utilizando-se desses elementos de comunicação, o linguista russo Roman Osipovich Jakobson elaborou e caracterizou seis funções da linguagem, visando uma melhor análise e produção de textos.

1. REFERENCIAL:

É também chamada de Denotativa ou Informativa. Dá ênfase ao referente, ou seja, o objeto ou situação tratada na mensagem (o contexto). Passa informações objetivas e impessoais sobre este referente, sendo quase sempre tratado em terceira pessoa. É escrito em linguagem denotativa, ou seja, sem possibilidades de segundas interpretações. É bastante usado em textos científicos, jornalísticos, técnicos e didáticos.

2. EMOTIVA:

Também conhecida como Expressiva. Enfatiza as emoções, opiniões, análises e anseios do emissor (quem está falando). É caracterizado por pontuações características, como exclamação e reticências; além do predomínio de interjeições. Tem caráter subjetivo, e pessoal. Sendo escrito em primeira pessoa, tem como objetivo demonstrar os sentimentos e pensamentos do emissor. É utilizado em poesias líricas, textos líricos, ou de teor dramático/romântico, autobiografias, memórias e cartas de amor.

3. CONATIVA:

Conhecida também como Apelativa. Provavelmente é a função mais utilizada em propaganda. Seu objetivo é convencer, seduzir ou persuadir, chamando a atenção do receptor (quem recebe a mensagem). Usa-se bastante o imperativo, focando-se sempre na 2ª pessoa. O vocativo costuma estar presente também. Além de textos publicitários, esta função é usada por textos políticos, autoritários, de autoajuda e horóscopos.

4. FÁTICA:

Esta função valoriza o canal da mensagem. Estabelece uma relação entre o emissor e o canal. Costuma-se utilizar para testar o canal, para verificar a eficiência/fortalecer sua eficiência, ou ainda, para chamar a atenção. Esta função é melhor compreendida com exemplos: “Alô?”/”Entenderam?”/”Psiu!”.

5. METALINGUÍSTICA:

Nesta função, o destaque é o código. Em palavras simples é quando a linguagem fala de si própria. Por exemplo, um poema explicando ou falando sobre escrever poemas; o dicionário, que com as palavras, explica sobre as próprias palavras; um programa televisivo comentando sobre a televisão; um texto cujo autor explica suas razões de estar escrevendo, ou sobre a estrutura de seu próprio texto, etc. As análises e críticas literárias também utilizam-se desta função.

6. POÉTICA:

O foco desta função é a própria mensagem, valorizando a elaboração do texto em si. Destaca a estética das palavras e sua formatação. Transmite sentimentos utilizando-se mais o sentido conotativo das palavras. Utiliza-se de sonoridade, ritmo e tonalidade das palavras, assim como as figuras de linguagem. É usado bastante em poesias, letras de músicas, textos literários e publicitários.

Vale lembrar que as funções nunca aparecem isoladas num texto, elas se sobrepõe. No entanto, sempre há uma que mais se destaca.

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!


REFERÊNCIAS:

~> Brasil Escola

~> Brasil Escola

~> Colégio Web

~> Wikipédia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: