Publicado por: Dream Hunter Z | 04/10/2014

E o que mais?

Olá pessoas! 🙂 Como estão?

Antes de começar o post de hoje, quero transcrever um trecho de um livro, que servirá para introduzir o assunto do post de hoje, ok? O nome do livro é “Conquistar e influenciar para se dar bem com as pessoas“, cujo autor é Reinaldo Polito. O livro trata de vários detalhes e dicas que ajudam a nos relacionar melhor tanto no ambiente de trabalho, como em casa ou com os amigos e conhecidos. O trecho quero discorrer é este:

E o que mais?

Imagem retirada deste site.

“De repente, surgiu uma experiência (relato) diferente que tinha tudo para começar e terminar sem provocar o interesse do grupo: um dos alunos contou que o filho pequeno, ainda nos primeiros anos escolares, chegou em casa, jogou a mochila no canto da sala e foi correndo lhe entregar o relatório de aproveitamento em sala de aula.

Nosso aluno disse que desejava muito saber sobre o aprendizado e a participação do garoto e, por isso, olhou as avaliações com bastante atenção. À medida que observava os comentários da professora e conferia o relatório, fazia suas observações: ‘Filho, você precisa terminar os desenhos, conversar menos com os coleguinhas durante a aula e não dobrar as folhas do caderno’.

O filho olhava para o pai e, com os olhinhos brilhantes, indagava: ‘E o que mais?’. O pai continuava a analisar os resultados da avaliação e apontava o que poderia ser melhorado. O filho permanecia firme na frente dele e não parava de perguntar: ‘E o que mais?’.

Só depois de um bom tempo o pai caiu em si e percebeu que estava apenas apontando os defeitos; em nenhum momento havia feito nem um comentário sequer sobre os méritos do garoto. O filho, entretanto, estava ansioso para ouvir algum elogio ou palavra de incentivo.

O pai, então, passou a mencionar todos os pontos positivos que pôde encontrar. Revelou que a cada descoberta fazia uma festa com o filho. Comemorava os acertos com voz vibrante e entusiasmada. O semblante do menino ficou iluminado de alegria. Ele estava envaidecido por ter conseguido resultados que davam orgulho ao pai.” (POLITO, Reinaldo. Conquistar e influenciar para se dar bem com as pessoas. p. 84. Editora Saraiva)

Achei muito interessante o que esta criança ensinou a seu pai, mesmo que sem querer.  É um ensinamento que já mencionei em dois posts anteriores: “Terapia do Elogio“, onde comentei um texto que recebi de minha querida Yuki; e em “SEICHO-NO-IE: A importância de reconhecer e elogiar“.

No entanto, acredito que nunca é demais tratarmos deste assunto tão importante, mas que às vezes, é esquecido no nosso dia a dia.

Penso eu que, por visarmos sempre a perfeição de tudo o que fazemos, procuramos os defeitos e os relatamos para as pessoas envolvidas, muitas vezes, com o intuito de querer melhorar. É o que chamam de critica construtiva, o que, quando feito de forma moderada e prudente, é algo positivo. No entanto, mais importante do que isso, são os elogios dos pontos positivos. Por estarem ok, muitos pensam que não precisam  comentar sobre eles, porém, para estes pontos estarem perfeitos, foi exigido esforço de alguém, que deve ser reconhecido e elogiado devidamente.

Se só houverem críticas e comentários de pontos negativos, haverá um desânimo por parte do outro, o que resultará em queda de desempenho, além de poder machucar a pessoa em questão.

Já o elogio, além de deixar o próximo feliz, o incentiva a se esforçar mais, no caso de trabalho, otimizando o serviço e melhorando a satisfação deste no local de trabalho. Isso vai refletir na atitude desta pessoa na casa dela, pois quando se está satisfeito no trabalho, o humor em casa tende a melhorar, ou seja, um simples elogio pode contribuir para a harmonia de um lar!

Obviamente, os elogios não devem ser feitos somente no serviço, mas também entre pais e filhos (como visto no trecho acima), amigos, vizinhos, conhecidos… E principalmente entre um casal (seja namorados, noivos ou casados). Afinal, como dito, o elogio incentiva, e uma das coisas mais maravilhosas de estar com quem amamos é ter o incentivo e apoio destes, não é?

Pelo contrário, se o parceiro(a) ficar só criticando e falando sobre os defeitos e pontos negativos, esta pessoa acabará querendo evitar o próprio parceiro(a), pois acho que ninguém precisa aumentar os fardos que já estão carregando. Ao invés de criticar, elogie o que se tem de bom! Ajude a procurar uma forma de resolver as carências! Mostre que esta pessoa não está sozinha, que há alguém apoiando e incentivando!

E, no fundo, acredito que todos esperam por um elogio, assim como o menino da história do começo desta postagem. Quem não gosta de ser elogiado (com sinceridade, é claro!)?

Vamos elogiar mais nossos pais e filhos! Nossos amigos (principalmente os que estão em momentos difíceis)! Nossos vizinhos e conhecidos! Nosso colegas (seja de escola/faculdade/trabalho) e, porque não, chefe (mas sem puxa-saquismo)! E, principalmente a pessoa mais importante de nossas vidas (alma gêmea)!

Bom, por hoje é só!

E nunca se esqueçam! O maior de todos os tesouros são os seus sonhos!

Abraços!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: